Networking: não faça contatos, faça conexões

Você sabe fazer networking ou só distribuir cartões de visita? Saiba como aproveitar as oportunidades de uma boa conexão

NETWORKING NÃO É FAZER CONTATOS, É CRIAR CONEXÕES

Networking é um dos jargões mais amados (e odiados) do mundo dos negócios. Se bem utilizado, é uma das principais ferramentas para se construir uma rede de contatos forte e que traz resultado para o empreendedor. De forma limitada, se restringe a trocar cartões de visita que se perdem, assim como as oportunidades que poderiam gerar. Preparado para deixar de usar os cartões como muleta e fazer realmente um networking eficiente?

Fazer contato é diferente de estabelecer uma conexão. Networking é sobre desenvolver e manter conexões significativas com outras pessoas. A visão negativa do termo está associada a prática de buscar o contato para se aproveitar da influência daquela pessoa. Uma abordagem artificial e, principalmente, frustrante para os mais tímidos.

A conexão cria uma relação de benefícios mútuos. Networking não deve ser visto como um meio para se atingir um objetivo, mas como a oportunidade se desenvolver canais frutíferos para os negócios. Visto dessa forma, elimina-se a ideia de que empreendedor que sabe fazer contatos é o que mais distribui cartões em um evento. Quanto mais você entender como fazer networking, mais pessoas interessantes e com grandes oportunidades você pode engajar nos seus empreendimentos.

Vamos a algumas dicas simples para te ajudar a estabelecer conexões significativas:

1. Conheça as pessoas, não somente o que elas fazem. Você pode ter muito interesse no que a pessoa faz, mas lembre-se de focar na pessoa. Conhecer sua trajetória, suas habilidades e seus interesses permite desenvolver a empatia, base das conexões genuínas. Sair da mesmice do “o que você faz” pode tornar a pessoa mais aberta. Engaje-se com comunidades. Seja em grupos em redes sociais, listas de email ou encontros presenciais. Conheça outros empreendedores da mesma área de interesse. Se esse grupo não existir, comece convidando alguns empreendedores para um café ou uma cerveja. Grandes comunidades empreendedoras foram formadas assim.

2. Faça perguntas e escute com atenção. A pior coisa é conversar com quem só sabe falar de si mesmo. Nos sentimos valorizados quando alguém demonstra interesse no que fazemos e no que pensamos sobre determinado assunto. Pergunte sobre o mercado que aquele empreendedor está inserido, pergunte sobre a referência ou o mentor dele.

3. Facilite conexões. Ou peça para alguém para facilitar. Conecte pessoas que você saiba que possuem interesses em comuns e que podem se ajudar. Da mesma forma, peça para alguém para te apresentar a outra pessoa. Ter um contato em comum já aproxima as pessoas.

4. Leve a conversa para além daquele momento. A maioria dos contatos terminam com a troca de cartões. Poucos conseguem continuar uma conversa depois de um evento. Para você conseguir engajar alguém na sua rede, faça um follow up dos seus contatos. Continue trocando ideias, artigos e indicações.

Via: Sebrae Minas

Romanhol Business Consulting tem mais de 15 anos de experiência e atuação no mercado. Nossa missão é criar soluções e apoiar nossos clientes na escolha e implementação da estratégia, prestando serviços  profissionais com excelência e sendo reconhecidos pela capacidade de gerar lucro. Para mais informações e contato clique AQUI!

O que achou? Deixe um comentário.

Categorias: Comportamento, Empreendedorismo, Gestão, Liderança, Negócios

Tags: , , , ,