Dia Internacional da Comunicação e das Telecomunicações

Em 17 de maio de 1865, representantes de 20 países europeus se encontraram em Paris e assinaram a Primeira Convenção Internacional do Telégrafo para controlar a primeira rede internacional de telégrafos. Como consequência, foi estabelecida a mais antiga organização intergovernamental do mundo – a União Internacional do Telégrafo.

Desde 1969, o Dia Mundial das Telecomunicações é celebrado anualmente em 17 de maio para comemorar este importante evento histórico. De seu nascimento humilde, quase 11 anos antes da invenção do telefone, a União Internacional do Telégrafo gradualmente se tornou a atual União Internacional de Telecomunicação (ITU), uma agência especializada das Nações Unidas com membros que incluem quase todos os países do mundo e mais de 500 membros privados, dos setores de tecnologia da telecomunicação, transmissão e informação.

Seus incansáveis trabalhos e realizações hoje afetam positivamente a vida de todos os que fazem chamadas de telefone, escutam o rádio, assistem televisão, surfam na Web ou exploram de outra maneira os frutos da recente revolução das telecomunicações. É difícil imaginar como seria o mundo das telecomunicações hoje em dia sem os esforços da ITU para harmonizar em termos globais as políticas nacionais, construindo pontes sobre as diferenças tecnológicas e promovendo a interconectividade e interoperabilidade dos sistemas. O Dia Mundial das Telecomunicações pode, assim, ser corretamente considerado como uma celebração das realizações da ITU.

Entretanto, o Dia Mundial das Telecomunicações é também um dia para se refletir sobre o crescente espaço criado entre aqueles que detém as tecnologias e seus frutos e aqueles no mundo que não foram nem mesmo remotamente tocados por esta revolução. Apesar do rápido desenvolvimento tecnológico, que em cada momento permite enormes e inimagináveis movimentos da informação de um lado ao outro do globo, mais de 70% das pessoas no mundo nunca ouviram o som de um telefone, sem nem mencionar o uso da internet.

Esta divisão digital pode ser ilustrada, por exemplo, pelo fato que há mais linhas de telefone em Manhattan, que é só uma parte da cidade de Nova Iorque, ou em Tóquio, do que em toda a África. E mesmo se sistemas e computadores para telecomunicações estivessem disponíveis em todos os lugares, a maioria dos pobres do mundo seriam ainda excluídos da revolução da informação, por causa do analfabetismo e de uma falta de habilidades básicas para usar o computador.

Além disso, quatro quintos da Web estão em inglês, uma língua compreendida por somente uma em cada dez pessoas no planeta. A divisão digital separa ricos e pobres, tanto nacional como internacionalmente, mas também homens e mulheres, novos e velhos. Claramente, o desafio à frente para ajudar a todos os povos do mundo a se comunicar é enorme.

Já em 1989, a Conferência Plenipotenciária da ITU, realizada em Nice, reconheceu que a importância de dar auxílio técnico aos países é tão fundamental como suas atividades tradicionais de gerência e de normalização, e isto foi refletido mais tarde em sua nova estrutura.

Escrito por Mariana Lourenço em seu blog DbateriadaMari

 A Romanhol Business Consulting tem mais de 15 anos de experiência e atuação em Tecnologia da Informação. Nossa missão é criar soluções e apoiar nossos clientes na escolha e implementação da estratégia, prestando serviços  profissionais com excelência e sendo reconhecidos pela capacidade de gerar lucro. Para mais informações e contato clique AQUI!

O que achou? Deixe um comentário.

Categorias: Sem categoria, Tecnologia da Informação

Tags: , , , ,